Tag Archives: Gabriel Abrantes

Filmes de Gabriel Abrantes exibidos no BFI

Liberdade, de Gabriel Abrantes e Benjamin Crotty

Nos próximos dias 22 e 25 de Outubro, o Festival de Cinema de Londres (BFI) apresenta quatro obras de Gabriel Abrantes.

Liberdade, de Gabriel Abrantes e Benjamin Crotty, foi exibido no IndieLisboa’11 e valeu ao cineasta luso o Prémio RESTART para Melhor Realizador Português de Curta Metragem. Filmado em Angola, aborda a relação de Liberdade, um jovem angolano, com a sua namorada chinesa.

Em seguida, será apresentada a primeira média metragem de Abrantes, Palácios de Pena, co-realizada por Daniel Schmidt. Esta parábola de culpa e opressão onde são abordados alguns aspectos da história colonial Portuguesa recebeu o apoio do Fundo IndieLisboa/FNAC 2011 e foi já apresentada no Festival de Cinema de Veneza este ano.

A sessão termina com as curtas metragens Olimpia I & II, realizadas por Abrantes e Katie Widloski, cujo enredo se desenvolve à volta de um quadro de Manet e que foram exibidas no IndieLisboa’08.

Os filmes serão exibidos numa única sessão, inserida na secção Experimenta que se dedica à divulgação de cinema experimental e propostas avant-garde no âmbito audiovisual. A sessão será realizada nos dias 22 (às 19h00) e 25 (às 13h15). O Festival de Cinema de Londres tem lugar em dez salas londrinas de 12 a 27 de Outubro.

Com as etiquetas , ,

Vencedores do IndieLisboa apresentados no Festival de Cinema de Viena

Linha Vermelha de José Filipe Costa

Três filmes portugueses vencedores do IndieLisboa’11 vão ser exibidos nesta edição do Festival de Cinema de Viena.

Co-realizado por João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, o filme Alvorada Vermelha conquistou o Prémio PIXEL BUNKER para Melhor Curta Metragem Portuguesa no IndieLisboa’11 e será apresentado na Viennale, no dia 28 de Outubro.

Liberdade, de Gabriel Abrantes e Benjamin Crotty, com que Abrantes venceu o Prémio RESTART para Melhor Realizador Português de Curta Metragem é exibido dia 23 de Outubro.

A longa metragem Linha Vermelha, realizada por José Filipe Costa, que foi distinguida com o Prémio CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS para Melhor Longa Metragem Portuguesa faz também parte da programação do festival austríaco e será apresentada nos dias 22 e 23.

É na Terra não é na Lua, documentário de Gonçalo Tocha que marcou também presença nesta edição do IndieLisboa, embora numa versão de trabalho, foi seleccionado para este festival e será exibido nos dias 21 e 22 de Outubro.

Os realizadores José Filipe Costa e Gonçalo Tocha irão estar no festival. O IndieLisboa será representado por Nina Veligradi, programadora do festival, que se desloca a Viena no âmbito da preparação da próxima edição. O Festival de Cinema de Viena, um dos mais conceituados na Europa, decorre em seis espaços da cidade austríaca entre 20 de Outubro e 2 de Novembro.

Com as etiquetas , , , , , ,

Fundo IndieLisboa/FNAC apoia filme Palácios de Pena

O Fundo Indielisboa/FNAC de Apoio à Produção vai ser atribuído ao filme de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt Palácios de Pena. O filme foi seleccionado para o Festival Internacional de Cinema de Veneza e será exibido na próxima sexta-feira, dia 2 de Setembro, na secção competitiva Orizontti.

Recentemente criado, este fundo provém das receitas geradas pela venda do DVD 10 Curtas Metragens Portuguesas FNAC/IndieLisboa e pretende ser um instrumento adicional de apoio aos financiamentos actualmente existentes em Portugal.

Nesta primeira edição, o apoio foi atribuído a Gabriel Abrantes, vencedor do Prémio Talento FNAC em 2009 e que no ano seguinte conquistou o Grande Prémio da Competição Nacional do IndieLisboa. Desde essa data, o realizador tem vindo a ganhar preponderância no meio cinematográfico internacional e está, neste momento, a finalizar um novo filme.

A 2ª edição do DVD com curtas portuguesas (filmes exibidos no festival IndieLisboa) está já a ser desenvolvida.

A atribuição do Fundo Indielisboa/FNAC de Apoio à Produção pretende ter uma periodicidade anual. Na segunda edição, será realizado um concurso para a atribuição do financiamento, ao qual poderão candidatar-se realizadores (com ou sem produtor) com projectos de filmes e/ou filmes ainda não finalizados. Este apoio assume um carácter de subsídio, não tendo a Zero em Comportamento e a FNAC quaisquer direitos como co-produtores dos filmes, apenas como co-financiadores.

Com as etiquetas ,

Dois filmes portugueses distinguidos no Festival de Locarno

“Liberdade” e “É na Terra Não É na Lua”, filmes apresentados no IndieLisboa’11, foram agora distinguidos no Festival Internacional de Cinema de Locarno.

“Liberdade”, realizado por Gabriel Abrantes e Benjamin Crotty, recebeu o Prémio de Filme e Vídeo na secção Pardi di domani (Leopardos de Amanhã) depois de ter sido premiado no IndieLisboa deste ano com o Prémio Restart para Melhor Realizador Português de Curta Metragem. Abrantes é distinguido em Locarno pelo segundo ano consecutivo, depois de ter sido recebido em 2010 o Leopardo de Ouro pelo filme “A History of Mutual Respect”, que também tinha vencido o Prémio Media Recording de Melhor Curta Metragem Portuguesa na edição do IndieLisboa’10.

O filme de Gonçalo Tocha, “É na Terra Não é na Lua”, recebeu a Menção Especial do Júri na secção Cineasti del presente (Cineastas do Presente), dedicada a jovens cineastas. Esta foi a primeira exibição do filme na sua íntegra, após uma versão de trabalho com 30 minutos ter sido apresentada em sessão especial no IndieLisboa’11.

Com as etiquetas , , , ,

“A History of Mutual Respect” conquista Leopardo de Ouro

A History of Mutual Respect

"A History of Mutual Respect" de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt

O filme A History of Mutual Respect de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt conquistou o Leopardo de Ouro na 63ª edição do Festival de Cinema de Locarno, que hoje chega ao fim. A curta metragem foi seleccionada para a competição internacional deste festival na secção “Pardi di domani”, que se dedica à revelação de jovens talentos da realização.  A History of Mutual Respect ganha, desta forma, o segundo troféu em Festivais de Cinema Internacionais, depois de ter vencido o Prémio Media Recording para Melhor Curta Metragem Portuguesa do IndieLisboa’10.

Na edição anterior do IndieLisboa, realizada em 2009, este prémio foi atribuído a “Arena” de João Salaviza que, duas semanas depois, venceu a Palma d’Ouro no Festival de Cannes. Pelo segundo ano consecutivo, a conquista de um prémio no IndieLisboa tem sido uma boa forma de impulsionar a carreira internacional dos realizadores portugueses de curtas metragens.

Com as etiquetas , ,
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 53 outros seguidores